Textos


Voltar

A gente nasce mui humilde e pobre,
Numa qualquer cidade,  vilarejo...
Torna-se moço e seu maior desejo
É ter riquezas, posição, ser nobre...

Deixa seus pais e a terra em que há nascido;
Irmãos, amigos seus, tudo afinal,
E, ao termo de uma luta desigual,
Não sabe se venceu ou foi vencido...

E, enquanto o tempo inexorável passa
E a vida vai perdendo encanto e graça,
aumenta o seu desejo de voltar..

Voltar ao seu torrão, ao povo amado...
E entre as esguias sombras do passado,
Ser uma sombra errante a caminhar...


(Escrito em fevereiro de 1962)
Antonio Lycério Pompeo de Barros
Enviado por Antonio Lycério Pompeo de Barros em 31/10/2011
Alterado em 31/10/2011

Música: Eu sonhei que tu estavas tão linda - Violinos Mágicos

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários