Textos


Rio Cuiabá

Às margens tuas nasci, há quantos anos!
Veloz e limpo, peixes à vontade,
corrias qual guri, em liberdade,
rumando ao pantanal, os baixos planos.

E os sonhos meus no bojo teus levavas,
menino-moço, no explendor da vida,
pujante e pleno aos braços teus me dava,
sem dores calcitrantres, sem feridas.

Tornei-me, um ia, encanecido e mal,
e em ti busquei, desesperadamente,
conforto e paz ao coração, à mente.

Tristonho e velho te encontrei, porém,
rolar deixei meu coração, também,
buscando, cada qual, seu pantanal.


Brasília, 24 de outubro de 2012.

Antonio Lycério Pompeo de Barros
Enviado por Antonio Lycério Pompeo de Barros em 18/12/2012

Música: Noturno - Chopin

Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários